Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Mais notícias > Notícias 2016 > Servidor do Ibama ganha Prêmio Capes por melhor tese de doutorado em ciências ambientais
Início do conteúdo da página

Servidor do Ibama ganha Prêmio Capes por melhor tese de doutorado em ciências ambientais

Última atualização em Quinta, 16 de Fevereiro de 2017, 15h52
Jair Schmitt
Foto: Ibama
Foto: Ibama

Brasília (14/12/2016) – O analista ambiental Jair Schmitt, coordenador-geral de Fiscalização Ambiental do Ibama, ganhou o Prêmio Capes Edição 2016 pela melhor tese de doutorado defendida em 2015 na área de ciências ambientais. A premiação, realizada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação (MEC), oferece aos vencedores diploma, medalha e bolsa de pós-doutorado nacional de até 12 meses (para o autor), além de auxílio de até R$ 3 mil para a participação em congresso nacional (para o orientador) e certificado de distinção (para o orientador e para o programa de pós-graduação).

A cerimônia de entrega do prêmio será realizada na sede da Capes, em Brasília, em 14 de dezembro de 2016, às 18 horas. Na ocasião também será divulgado o resultado do Grande Prêmio Capes de Tese Edição 2016, entre todas as teses premiadas por área de conhecimento.

A obra “Crime sem castigo: a efetividade da fiscalização ambiental para o controle do desmatamento ilegal na Amazônia” foi apresentada por Schmitt para obtenção do título de doutor em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Brasília (UnB).

Orientado pelo professor Fernando Paiva Scardua, o estudo analisa a efetividade da fiscalização ambiental para o controle do desmatamento ilegal na Amazônia, com o propósito de avaliar se a coerção administrativa pode influenciar o comportamento e desmotivar infrações.

Schmitt explica que, com base na teoria econômica do crime, foi elaborado um modelo matemático para medir a dissuasão resultante da fiscalização ambiental. “De modo geral, as pessoas realizam o desmatamento ilegal se a vantagem econômica for maior que os riscos de punição e os custos da infração”, diz o coordenador-geral.

“Minha grande motivação para realizar esse estudo foi a necessidade de obter mais conhecimento para empregar nas funções de servidor público. O grande desafio agora é aplicar esse conhecimento em benefício da sociedade, ou seja, fazer com que a fiscalização ambiental tenha mais efetividade na proteção do meio ambiente”, disse Schmitt.

Criado em 2005, o Prêmio Capes de Tese é outorgado anualmente em reconhecimento às melhores teses de doutorado aprovadas nos cursos de pós-graduação adimplentes e reconhecidos no Sistema Nacional de Pós-Graduação em cada uma das 48 áreas do conhecimento.

Jair Schmitt ingressou no Ibama em 2002 por meio de concurso público. Já trabalhou no Escritório Regional de Itacoatira e na Superintendência do Ibama no estado do Amazonas. Foi cedido à Presidência da República e, em 2009, assumiu a função de coordenador de Normatização e Suporte à Fiscalização na sede do Ibama. Em 2013, foi nomeado coordenador geral de Fiscalização Ambiental, função que exerce até hoje. É graduado em Ensino de Ciências e Matemática e em Ciências Biológicas, com mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental.

Mais informações:
“Crime sem castigo: a efetividade da fiscalização ambiental para o controle do desmatamento ilegal na Amazônia”

Assessoria de Comunicação do Ibama
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(61) 3316-1015

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página