PDF Imprimir E-mail

Sistema de Cadastro de Criadores Amadoristas de Passiformes- SISPASS

O Sistema de Cadastro de Criadores Amadoristas de Passiformes, Sispass,  é serviço do Ibama para o cidadão que quer manter um pássaro silvestre legalmente, para tanto, o trabalho desenvolvido  tem como uma de suas finalidades instruir os criadores amadoristas a criar seus pássaros dentro das instruções normativas.

O Sispass possui 30 mil criadores cadastrados dentro do Espírito Santo. Realizando em média 80 atendimentos diários. Trabalhando exclusivamente  no cadastro pássaros canoros silvestres. Segundo as funcionárias responsáveis pelo cadastro o Trinca ferro, Coleiro, Curió, Canário - da – terra são as espécies mais populares para os criadores amadores de pássaros.

 

História

O povo brasileiro tem a cultura de criar pássaros canoros silvestres como animais de estimação. Por muitos anos essa prática foi feita sem controle causando enorme prejuízo à fauna brasileira, porque a população tinha a idéia que a diversidade de nossa fauna não teria fim.

Para minimizar esta situação, em 1976, foi publicada a portaria a Portaria nº 31 que obrigava Clubes e Sociedades Amadorísticas de aves e pássaros canoros a se registrarem no já extinto Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal, o IBDF. Esta Portaria estabeleceu a data limite de 31/12/76 para que todas aves registradas estivessem anilhadas.

Portanto, para se tornar um criador registrado e ter um pássaro legalmente cadastrado é necessário ir ao site do IBAMA, procurar o link do sispass, preencher corretamente a ficha de inscrição com documentação completa, endereço completo, emitir  e pagar o boleto de licença no valor de 30 reais. Essa permissão deve ser adquirida antes da aquisição do pássaro, lembrando que o animal que deve ser proveniente de outro criador amadorista ou de um criador comercial, ambos em situação regular junto ao IBAMA.

Para saber se o passaro é cadastrado no  Sispass  é  necessário conferir se a ave está anilhada e sua procedência, evitando eventuais problemas.  A  comercialização de filhotes sem essas  anilhas é considerada ilegal. É importante salientar que esta licença não se aplica à regularização de pássaros sem anilhas ou que perderam o prazo de recadastramento.