Serviços

Ibama participa da operação Ágata II na fronteira das regiões Sul e Centro-Oeste PDF Imprimir E-mail

Porto Alegre (22/09/2011) – Os primeiros dados oficiais da operação Ágata II foram divulgados nesta quarta-feira (21/09) em Porto Alegre pelo general de Exército Carlos Bolivar Goellner, representando o Ministério da Defesa, com a presença do presidente da República em exercício Michel Temer e de ministros de Estado.



As ações, iniciadas no dia 12/09 ,mobilizam sete mil homens em 3.500 quilômetros de fronteira e devem se estender até o próximo dia 26/09, em quatro estados brasileiros das regiões Sul e Centro-Oeste, na divisa Uruguai, Argentina e Paraguai, com o objetivo de reduzir o índice de criminalidade e aumentar a segurança nestas regiões. A evolução das ações da operação Ágata II pode ser acompanhada pelo site www.agata2.defesa.mil.br.

Embora disponha até o momento de resultados parciais, o Ibama já contabiliza um total de 26 autuações com quase R$ 1,4 milhão de multas aplicadas só no Rio Grande do Sul. Segundo o chefe da Divisão de Controle e Fiscalização da Superintendência do Ibama no estado, Régis Fontana Pinto, cerca de 31 agentes ambientais federais se revezam nas ações da operação desde o seu início e o foco principal das fiscalizações acontecem em barreiras rodoviárias juntamente com o Exército, com autuações de caça e pesca e apreensão de redes e pescado. Régis destaca também as vistorias em madeireira com 266m³ de madeira serrada apreendida até o momento. As operações do Ibama até o momento se concentraram nos municípios gaúchos de Rio Grande, Chuí, Jaguarão, Bagé, Itaqui, São Borja, São Luiz Gonzaga, Porto Mauá e Aceguá.

Segundo o Superintendente do Ibama/RS, João Pessoa Moreira Junior, que representou o Ministério do Meio Ambiente na entrevista coletiva desta semana, o mais importante neste tipo de operação “é o somatório de todos estes órgãos, que permite o envolvimento de um maior número de agentes na fiscalização de diversas formas de ilegalidades”.

A operação Ágata II, que, no Rio Grande do Sul ,está sendo planejada e coordenada na Capital mas com ações descentralizadas em toda a fronteira, tem a participação do Ibama, da Receita Federal, da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal, da Agência Brasileira de Inteligência, e da Anvisa, além de órgãos de segurança pública dos estados onde estão ocorrendo. Em agosto, foi realizada a operação Ágata I, na região Norte do país.

As principais ações da operação Ágata envolvem patrulhamento, pontos de controle e revistas, por terra, ar e águas territoriais (incluindo a Lagoa Mirim), inclusive com a utilização de aviões de inteligência e um Veículo Aéreo Não Tripulado (Vant), empregado para localização e vigilância de alvos. O Plano Estratégico de Fronteiras é uma iniciativa instituída por decreto presidencial e, pela primeira vez, estabelece uma coordenação conjunta em pontos estratégicos dos mais de 16 mil quilômetros de fronteiras

Maria Helena Firmbach Annes
Ascom - Ibama/RS

 

Foto: Ibama/RS