Serviços

Facilidades

Ibama emite Licença Prévia para mina de ferro S11D, da Vale PDF Imprimir E-mail

Brasília (29/06/2012) - O Ibama emitiu na última terça-feira (26/06) a Licença Prévia nº 436/2012 para a empresa VALE S/A relativa ao empreendimento denominado Projeto Ferro Carajás S11D, localizado no Corpo S11 de Serra Sul, nos domínios da Floresta Nacional de Carajás, no município de Canaã dos Carajás/PA.

 

O Ibama tem, atualmente, em carteira, 1.694 processos em licenciamento ambiental. Desse total, 7% (123) referem-se a processos de mineração.

 

Segundo dados do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), a produção beneficiada de minério de ferro brasileira em 2008 atingiu 351 milhões de toneladas/ano. Até o ano de 2011, o Ibama analisou e licenciou processos que atingem 267 milhões de toneladas/ano de minério de ferro e, em 2012, encontram-se em licenciamento processos que totalizam cerca de 308 milhões de toneladas/ano de minério de ferro. Neste contexto, a mina S11D representa uma das maiores do Brasil e do mundo. A previsão é que sejam extraídos em S11D cerca de 90 milhões de ton./ano de minério de ferro. Isso representa em relação ao ano de 2008, 29,0% da produção beneficiada nacional e aproximadamente 4,0% da produção mundial.

 

Do total de minério de ferro extraído que se encontra em licenciamento ambiental no Ibama, cerca de 242,5 milhões t/ano de minério de ferro são da VALE, enquanto outros empreendedores representam cerca de 25 milhões t/ano de minério de ferro em licenciamento no Ibama. A VALE possui também 15 processos em análise na tipologia mineração, 27 no tipologia ferrovia, dois em portos e mais 11 em outras atividades, totalizando 55 processos em diversas fases de licenciamento, atualmente no Ibama.

 

O Ibama na ocasião da análise do Estudo de Impacto Ambiental propôs melhorias ao Projeto, assim como o ICMBio. Essas melhorias resultaram em ganhos ambientais, tais como a disposição do material estéril da mina em áreas já impactadas e a relocação da fábrica de explosivos em áreas antropizadas fora dos limites da Flona de Carajás. Essas alterações no Projeto significaram em redução das áreas a serem desmatadas - 1.000 hectares de vegetação nativa preservada.

 

Os estudos ambientais requeridos pela legislação e as complementações solicitadas pela equipe técnica do Ibama possibilitaram aumento significativo do conhecimento sobre a biodiversidade (fauna e flora) da Floresta Nacional de Carajás. Exemplo disso, foi o registro de espécies novas para ciência e novas citações para o Estado do Pará.

 

Ascom - Ibama

Foto: Jônatas Souza da Trindade/Ibama