Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Informes > Ibama realiza reuniões em Jaci Paraná (RO) para discutir impactos da Usina Hidrelétrica Santo Antônio
Início do conteúdo da página

Ibama realiza reuniões em Jaci Paraná (RO) para discutir impactos da Usina Hidrelétrica Santo Antônio

Publicado: Terça, 14 de Novembro de 2017, 21h08 | Última atualização em Quinta, 16 de Novembro de 2017, 10h47

Brasília (14/1/2017) – O Ibama realizou nos dias 12 e 13 de novembro reuniões com moradores de Jaci Paraná, distrito de Porto Velho (RO), sobre os impactos ambientais resultantes da instalação e operação da Usina Hidrelétrica (UHE) Santo Antônio, no Rio Madeira. Os encontros foram realizados com o objetivo de apresentar os impactos causados pelo empreendimento, os programas ambientais adotados e o funcionamento do processo de licenciamento ambiental.

No dia 12, cerca de 500 pessoas compareceram à Escola Municipal Cora Coralina para participar da reunião. Na ocasião, representantes do Ibama, da Companhia de Águas e Esgoto de Rondônia (CAERD) e dos ministérios públicos Estadual e Federal esclareceram as dúvidas da população a respeito do empreendimento. A empresa Santo Antônio Energia foi convidada, mas não enviou representantes.

No dia 13, cerca de 600 pessoas participaram de reunião extraordinária do Grupo de Acompanhamento Social (GAS). Esse grupo é formado por representantes do Ibama, da Santo Antônio Energia, dos ministérios públicos e da sociedade civil. O objetivo é acompanhar as demandas relacionadas aos impactos causados pela usina.

O Ibama respondeu a mais de 200 perguntas e manifestações. As principais preocupações estão relacionadas a:

1 - Possível afetação do lençol freático da região pelo reservatório da usina, que estaria ocasionando rachaduras e afetando as estruturas das residências;
2 - Indenizações resultantes da remoção de população, especialmente em relação à cota de segurança de 77,10 metros estabelecida pela Agência nacional de Águas (ANA);
3 - Qualidade da água dos poços das residências, que teria se deteriorado a partir do enchimento do reservatório da usina.

Mais uma vez, a empresa responsável foi convidada, mas não participou do evento.

As reuniões, conduzidas pela Coordenação de Licenciamento de Hidrelétricas (Cohid), com a participação de técnicos dos Núcleos de Licenciamento Ambiental do Rio de Janeiro e de Rondônia, foram realizadas em atendimento a solicitação feita pelo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

 

Assessoria de Comunicação do Ibama
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(61) 3316-1015

registrado em:
Fim do conteúdo da página